COMPRE AQUI PELA NOSSA LOJA VIRTUAL

A cesárea e a dor

14 maio 2013

Entenda como é o pós-operatório da cesárea

“Vou fazer cesárea porque não quero sentir nenhuma dor no parto”. Você certamente já ouviu alguém dizer essa frase ou talvez também a tenha falado. Então, saiba que não será tãosimples assim. “Todas as recomendações de órgãos internacionais dizem que a cesárea não deve ser motivada devido ao medo da dor, já que existem recursos disponíveis para ter conforto no parto normal”, conta o obstetra Marcos Nakamura, do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz).

Sem contar que também há a dor do pós-operatório. “Este desconforto é variável, algumas mulheres ficam incomodadas por dias, semanas ou até meses. Em dois estudos feitos pelo Instituto Fernandes Figueira, um deles com mulheres que tiveram parto normal e outro com mães que fizeram cesárea, mostrou que algumas das mulheres que passaram pelo procedimento cirúrgico relataram dor maior no pós-parto do que as mães durante o parto normal”, revela Nakamura.

Afinal, na técnica de cesárea mais utilizada pelos cirurgiões são cortadas, e suturadas após o nascimento, oito camadas de tecido. São elas: a pele, a gordura subcutânea, a aponeurose (invólucro ao redor da musculatura abdominal), o músculo, o peritôneo parietal (membrana que forra a parede abdominal), o peritôneo visceral (que reveste as vísceras), a parede uterina e a bolsa das águas para chegar ao bebê.


Foto: A cesárea e a dor

Entenda como é o pós-operatório da cesárea

“Vou fazer cesárea porque não quero sentir nenhuma dor no parto”. Você certamente já ouviu alguém dizer essa frase ou talvez também a tenha falado. Então, saiba que não será tão simples assim. “Todas as recomendações de órgãos internacionais dizem que a cesárea não deve ser motivada devido ao medo da dor, já que existem recursos disponíveis para ter conforto no parto normal”, conta o obstetra Marcos Nakamura, do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz). 
 
Sem contar que também há a dor do pós-operatório. “Este desconforto é variável, algumas mulheres ficam incomodadas por dias, semanas ou até meses. Em dois estudos feitos pelo Instituto Fernandes Figueira, um deles com mulheres que tiveram parto normal e outro com mães que fizeram cesárea, mostrou que algumas das mulheres que passaram pelo procedimento cirúrgico relataram dor maior no pós-parto do que as mães durante o parto normal”, revela Nakamura.
 
Afinal, na técnica de cesárea mais utilizada pelos cirurgiões são cortadas, e suturadas após o nascimento, oito camadas de tecido. São elas: a pele, a gordura subcutânea, a aponeurose (invólucro ao redor da musculatura abdominal), o músculo, o peritôneo parietal (membrana que forra a parede abdominal), o peritôneo visceral (que reveste as vísceras), a parede uterina e a bolsa das águas para chegar ao bebê.

Fonte: https://www.facebook.com/MamaeEuKero?hc_location=stream

1 comentários:

Jamille R. Silva Araújo disse...

Eu tive uma cesárea, não me arrependi nenhum pouco! Foi tudo muito tranquilo e minha recuperação também correu tudo bem, claro que a gente sente um incomodo na hora de levantar, de andar, mas só nos primeiros dias,não é mortal! E é claro que varia de pessoa para pessoa também né?!

Postar um comentário

Agradecemos sua visita em nosso blog.